ATIVISMO

Algumas pessoas vivem se preocupando com o futuro, procuram trabalhar muito para garantir condições melhores. Acreditam que um dia poderão parar com tudo e descansar, desfrutar e curtir o que conquistou. É importante compreender que o seu organismo se adapta a um funcionamento, ou seja, se o seu cérebro está emitindo constantes pensamentos de preocupação, não irá parar de emiti-los no momento em que você se aposentar ou porque acabou de entrar de férias. Leva um tempo para isso, além disso você pode estar funcionando a partir de crenças que nem mesmo tenha consciência, como por exemplo “aprendi que para ter valor preciso sempre trabalhar de forma dedicada”, já atendi um homem que quando ficava de folga em casa, se estas folgas eram extensas ou mais constantes, sentia que era um ‘vagabundo’, mesmo sabendo que estava trabalhando e que seu contexto financeiro estava bem encaminhado, não era uma compreensão lógica, mas algo que ele sentia. Este tipo de pessoa sente muita dificuldade em parar de trabalhar, ou então ao parar de trabalhar inicia outra atividade laboral, ainda que esta não seja um trabalho profissional. Outro exemplo seria a pessoa que é movida pela crença de que PRECISA SER ÚTIL e assim todos os dias concentra suas energias para fazer coisas que sejam úteis e acaba nunca encontrando tempo para relaxar e desfrutar os contextos que vivencia e as pessoas com que convive. Neste funcionamento provavelmente você já deve ter escutado alguém dizendo: “você não para, nunca relaxa numa conversa”. Esta pessoa pode ficar entristecida consigo mesma, pois gostaria de relaxar e curtir as pessoas que ama e algumas vezes até percebe que está perdendo um papo gostoso, enquanto limpa tudo, neste caso sua escolha está sendo realizada não pela sua MENTE CONSCIENTE, mas pela sua MENTE EMOCIONAL. Estas ESCOLHAS resultam de aprendizados ocorridos no contexto familiar durante a formação do psiquismo humano em sua infância. Acompanhei uma vez uma mulher que desejava passar mais tempo com o marido e os filhos, mas sempre acabava passando o seu tempo limpando a casa e trabalhando, podia até mesmo se convencer de que estava fazendo por eles quando gastava o seu tempo cozinhando ou atendendo às suas demandas. Contudo FAZER é diferente de ESTAR COM. E é preciso ser curado de muitos mecanismos primitivos de sobrevivência apreendidos em nossa história de vida para conseguir ESTAR COM alguém ou mesmo para PARAR E DESFRUTAR A VIDA!!!

Fechar Menu