Codependência

Hoje acordei e o estudo que acabei fazendo foi a respeito da codependência e o autor do estudo, Almeida, definiu a codependência como a pessoa que quer ser um facilitador da vida do outro, a pessoa que toma conta do problema do outro, responsabilizando-se por este problema e da vida do outro como um todo. Este estudo apontava que o codependente enxerga o seu valor a partir do que faz pelos outros, se sente alguém a partir do que faz. A codependência ocorre com muita frequência em relacionamentos com uma pessoa problemática, mas pode também ser a forma que a pessoa aprendeu a se relacionar com os outros. Este tipo de relação muitas vezes lança mão do mecanismo de defesa NEGAÇÃO, a fim de não enxergar a gravidade dos problemas que este funcionamento traz para a vida da própria pessoa e de como seus relacionamentos são vivenciados de forma desgastante e destrutiva. Seus relacionamentos se desenvolvem a partir de um elevado senso de responsabilidade e de um contexto de controle (controlar e ser controlado), o que por sua vez produz sentimento de culpa ou vergonha, dor, raiva, solidão e uma desesperada busca para evitar o abandono. Essa necessidade de aceitação precisa ser substituída pelo amor próprio!

Este estudo traz como um caminho capaz de promover cura ao codependente a compreensão da pessoa de quem ela é, da restituição do valor em quem é e não no que faz; a partir também da separação entre o eu e o outro, desfazendo a mistura que ela fez entre o eu dela e a vida do outro. Este estudo traz o exemplo de Jesus como alguém que não funcionava a partir da codependência com as pessoas, Ele dizia a verdade para as pessoas mesmo quando elas não gostavam do que ouviam, sabia dizer não, deixava com que as pessoas tomassem suas próprias decisões e as respeitava. Como amava as pessoas se entristecia com as escolhas ruins que faziam, como em seu encontro com o rapaz rico em Marcos 10: 17 a 22, no versículo 21 e 22 “Jesus fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu, então vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades.” Nesta passagem, Jesus, ainda que amasse o jovem, disse a verdade e deixou que ele tomasse sua própria decisão, não procurou obriga-lo a seguir o que enxergava como o melhor caminho para ele, não ficou insistindo ou manipulando os seus atos.

O funcionamento saudável entre adultos se dá a partir da compreensão de que cada um é responsável por suas escolhas! A codependência é saudável na relação entre adulto e criança, mas completamente adoecedora na relação entre adultos.

Rebeca G M Cardoso

Fechar Menu